Espetáculos

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

"JOÃO E O PÉ DE FEIJÃO NA TERRA DO NUNCA" - estreia

Estreia do espetáculo infanto-juvenil

"JOÃO E O PÉ DE FEIJÃO NA TERRA DO NUNCA"




“João e o Pé de Feijão na Terra do Nunca” é a mais nova produção teatral do Circo do Mato, direcionado ao público infanto-juvenil, mas livre para todos os públicos; a peça faz a junção das histórias João e o Pé de Feijão e Peter Pan.

A proposta de montagem surgiu no grupo em 2015 com o desejo de produzir uma montagem bem elaborada e que não fosse óbvia demais aos olhos dos menores e também dos maiores, sabendo que os pequenos são críticos e questionadores pretendendo explorar a capacidade destes, buscando mergulhar na poética através do faz de conta. Assim com a proposta de trazer ao público uma forma peculiar de apresentação, mantendo a característica de trabalho do Circo do Mato de mesclar o teatro e o circo em seus trabalhos.

O grupo convidou o diretor e ator Anderson Bosh para a direção do espetáculo e a construção do texto final com base nos anseios do grupo, e o ator e músico Carlos Anunciato para a criação da sonoplastia.   

“João e o Pé de Feijão na Terra do Nunca” é um espetáculo de teatro circo com diálogo direto com a manipulação de objetos, a literatura em verso e a música; a obra é contemporânea na sua encenação, propõe um ator criador, dialogo direto com outras linguagens artísticas e a vanguarda de um novo campo de proposição teatral: espetáculo infantil engajado.
Encenada a partir do universo fantástico da imaginação infantil, ela recria ambientes mambembescos e brincantes, propondo-lhes um estado grotesco, animalesco, irreal e imagético, de humor carregado de crítica, como são os remakes cinematográficos de clássicos literários, os modernos HQ’s e os longa metragem de desenhos animados, bem como o imaginário popular das crianças de um mundo pós-moderno.
O aporte de todas essas ações em simbiose propiciou uma nova fábula, que temperada com nuances da cultura sul-mato-grossense e suas questões sócio-político-culturais, resultou num ambiente de reflexão critica e posicionamento, que é ao mesmo tempo lúdico, brincante e de diálogo direto com público, sem deixar de ser engraçado, divertido, curioso, pictoricamente bonito e artístico.
A obra em si é um lugar de reflexão e posicionamento crítico, tanto dela mesma, quanto do seu entorno, sua comunidade e questões características de sua cultura e posicionamento geográfico - questões frequentemente negadas ao conhecimento de crianças e jovens público alvo desse projeto - no entanto não perde seu caráter lúdico, recreativo e artístico.
A proposta de montagem foi contemplada pelo Prêmio Rubens Correa de Teatro 2016, com investimento da Fundação de Cultura de MS, SECTEI e Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, e as apresentações de estreia contam com a parceria do SESC MS.



O grupo convidou o diretor e ator Anderson Bosh para a direção do espetáculo e a construção do texto final com base nos anseios do grupo, e o ator e músico Carlos Anunciato para a criação da sonoplastia.   
“João e o Pé de Feijão na Terra do Nunca” é um espetáculo de teatro circo com diálogo direto com a manipulação de objetos, a literatura em verso e a música; a obra é contemporânea na sua encenação, propõe um ator criador, dialogo direto com outras linguagens artísticas e a vanguarda de um novo campo de proposição teatral: espetáculo infantil engajado.
Encenada a partir do universo fantástico da imaginação infantil, ela recria ambientes mambembescos e brincantes, propondo-lhes um estado grotesco, animalesco, irreal e imagético, de humor carregado de crítica, como são os remakes cinematográficos de clássicos literários, os modernos HQ’s e os longa metragem de desenhos animados, bem como o imaginário popular das crianças de um mundo pós-moderno.
O aporte de todas essas ações em simbiose propiciou uma nova fábula, que temperada com nuances da cultura sul-mato-grossense e suas questões sócio-político-culturais, resultou num ambiente de reflexão critica e posicionamento, que é ao mesmo tempo lúdico, brincante e de diálogo direto com público, sem deixar de ser engraçado, divertido, curioso, pictoricamente bonito e artístico.
A obra em si é um lugar de reflexão e posicionamento crítico, tanto dela mesma, quanto do seu entorno, sua comunidade e questões características de sua cultura e posicionamento geográfico - questões frequentemente negadas ao conhecimento de crianças e jovens público alvo desse projeto - no entanto não perde seu caráter lúdico, recreativo e artístico.
A proposta de montagem foi contemplada pelo Prêmio Rubens Correa de Teatro 2016, com investimento da Fundação de Cultura de MS, SECTEI e Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, e as apresentações de estreia contam com a parceria do SESC MS.
PRÊMIO RUBENS CORREA DE TEATRO 2016
Investimento: FCMS / SECTEI / GOV DE MS
Parceria: SESC MS
Realização: CIRCO DO MATO - GRUPO DE ARTES CÊNICAS

Entrada franca e livre para tod@s @s públicos.
(lotação máxima do teatro - 236 lugares)
Os ingressos serão distribuídos `partir de 1 hora antes de cada apresentação.

Teatro Prosa SESC HORTO
Dia 02/03/17 - 20h
Dia 03/03/17 - 18h e às 20h

FICHA TÉCNICA
Texto e direção – Anderson Bosh
Argumento – Circo do Mato
Direção de arte e objetos de cena – Mauro Guimarães
Elenco – Douglas Caetano, Mauro Guimarães, Murillo Atalaia, Patrycia Andrade e Yasmin Fróes
Direção musical – Carlos Anunciato
Produção executiva e comunicação – Laila Pulchério
Vozes infantis em off – Álvaro Atalaia, Eduardo Fróes, Isabela Fróes de Souza, Isadora Salles, Mavi, Pedro Navarrete e Yasmin Alves.
Figurinos – Marcelo Silva e Anderson Bosh
Fotografia – Larissa Pulchério
Designer gráfico – Diego Ouro Preto
Costuraria – Fátima Silva e Cida Silva

SINOPSE

Capitão Gancho, um ardiloso e tenebroso vilão, invade a Terra das Nuvens banindo João e a sua mãe para a Terra do Nunca. O malvado aprisiona e escraviza o pai do menino e hipnotiza sua mãe para não se lembrar de nada. Exilados na Terra do Nunca a mercê dos infortúnios do lugar, João decide vender sua vaca Mimosa e acaba trocando-a com um ardiloso mascate por sonhos e feijões mágicos, que fantasticamente o levam de volta à Terra das Nuvens, às suas origens e histórias perdidas no passado. João enfrenta o gigante tenebroso e ardiloso “Capitão Gancho”, em uma batalha heroica pela libertação de seus pais e a reconquista de sua casa na Terra das Nuvens.

Algumas imagens da montagem do espetáculo:






























Nenhum comentário:

Postar um comentário