Espetáculos

domingo, 31 de dezembro de 2017




A oficina NAS ALTURAS - é oferecida pelo Circo do Mato - Grupo de Artes Cênicas para adultos e jovens (à partir de 12 anos); de preferência para pessoas com alguma experiência em atividades físicas (circo, ginástica, dança, etc). VAGAS LIMITADAS!

Será realizada de 22 de janeiro a 02 de fevereiro de 2018
Na sede do Circo do Mato - Rua Tonico de Carvalho 263 - Bairro Amambaí em Campo Grande/MS - Link do endereço
Com aulas 2ª, 3ª, 5ª e 6ªf de 18h30 às 20h30
Ministrada por Taira Sanches e Murillo Atalaia.
Certificado com mínimo de 75% de presença.

INSCRIÇÕES:
Envie email para oficinacircodomato@gmail.com
Assunto: Oficina Nas Alturas
no corpo do email: Nome completo, idade, celular de contato, experiências.
Após confirmada sua inscrição através de resposta do email (seremos rigorosos em relação a vagas). Realize o pagamento: depósito ou transferência bancária - envie comprovante por email ou por whatsapp 99912-1420 - inscrições no local serão realizadas em horários combinados (estamos em reforma).

Dados bancários

Caixa Econômica Federal
Agência 0258 / Operação 003 / Conta corrente 00000650-3
Circo do Mato - Grupo de Artes Cênicas
CNPJ 07.036.069/0001-14
OU
Banco do Brasil
Agência 2951-3 / Conta corrente 270.490-0
Laila Saad Pulchério

Conteúdo:
- Alongamento
- Resistência física
- Tecido acrobático - subidas, chaves, apoios, travas, quedas, figuras, portagem.
- Trapézio fixo - subidas, chaves, quedas, figuras, portagem.
- Lira - subidas, sequencias articuladas, figuras, duo.


Taira Sanches – graduada em Artes Cênicas pela UEMS, especialista em Trabalho Pedagógico em Educação Infantil e mestranda em Educação, ambas pela UEL/PR. Atuou como instrutora circense na OMEP - Organização Mundial para Educação Pré-escolar - Campo Grande/MS em 2015. É integrante do Circo do Mato desde 2012. Atualmente cursa a Escola de Circo de Londrina/PR.

Murilo Atalaia - Circense e ator, atua no Circo do Mato desde 2013, cursa a Escola de Circo de Londrina/PR desde 2016, atuou como instrutor circense para infância e juventude no CICA - Centro de Integração da Criança e Juventude - Campo Grande/MS em 2016, ministrou a Oficina de Circo nas Férias - Ludicidade no Circo (para crianças) e Técnicas de Circo: Trapézio Fixo, Tecido liso e Acrobacias de Solo (para adultos) no Circo do Mato em 2016.

Orientações: usar roupas leves e apropriadas para atividades físicas, fazer refeição leve antes das aulas.


terça-feira, 21 de novembro de 2017

Circo do Mato participa da IV Mostra Fulano di Tal nesta quarta-feira (22) em Campo Grande

A Mostra Fulano di Tal, já em sua 4ª edição, foi pensada como uma forma do grupo apresentar ao público o que pesquisou, produziu e apresentou ao longo do ano, sempre contando com convidados e parceiros para compôr a programação. Este ano, além do teatro, a dança se fará muito presente. Nesta quarta-feira (22) o Circo do Mato participará da Mostra com OS CORCUNDAS, depois de apresentar o espetáculo em mais um festival internacional, desta vez em Mendoza na Argentina. 



A obra foi montada na Europa em 2009 pelo seu criador Breno Moroni, circulando por Portugal e Itália, em 2011 foi montada pelo Circo do Mato à convite de Breno, e à partir daí, foi apresentada em vários festivais no Brasil, em Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Goiás (GO) e ainda na Bolívia, Colômbia e Argentina. 

Dão (Mauro Guimarães) - Foto: Franz Mendes 


Os atores utilizam o gromelô e a pantomima como recurso cênico e dramatúrgico, contando uma sensível e divertida história de amor. "Participei da montagem e acompanho o grupo em todas as apresentações, acabei assumindo também a operação de luz e som, e a cada apresentação ainda me emociono e me divirto, não me canso de apreciar esta obra" diz a produtora executiva do Circo do Mato, Laila Pulchério.

Dão (Mauro Guimarães) e Iva (Luciana Kreutzer)
Foto: Franz Mendes  
Os Corcundas é uma pantomima que conta a saga de dois corcundas errantes: ele, o Corcunda, simpático, feio e puro! Como um cão, tenta ser amigo, mas, tem medo dos homens! Ela, a Corcunda, é feia e brincalhona. Esperta como um macaco, não percebe a opinião ou lógica das pessoas. Depois de caminharem pelo mundo, sem nada para vender ou comprar, são arrebatados por um amor sincero, avassalador, verdadeiro, engraçado e puro. Um espetáculo que diverte e emociona!



Ficha Técnica
Texto, dramaturgia e direção - Breno Moroni
Atores circenses - Luciana Kreutzer e Mauro Guimarães
Figurino e material Cênico - Circo do Mato
Produção executiva, , operação de som e luz - Laila Pulchério

Confira a programação aberta ao público:

22/11 (Quarta-Feira) - 19:30 - Abertura Oficial
OS CORCUNDAS (Circo do Mato)
Espetáculo Convidado

23/11 (Quinta-Feira) - 19:30 - Estreia
ANTINÉRCIA (Coletivo Usina)
Espetáculo Convidado

24/11 (Sexta-Feira) - 19:30
ROSÁRIO, A SALVADOR (Manolo Schittcowisck)
Espetáculo Convidado

25/11 (Sábado) - 19:30
ÓPERA DO MALANDRO (Fulano di Tal)

26/11 (Domingo) - 19:30
ÓPERA DO MALANDRO (Fulano di Tal)

Local: Teatral Grupo de Risco - Rua José Antônio, 2.170
Ingressos: R$20 e R$10 (na compra antecipada todos pagam R$10). 


Reserva de ingressos através da lista amiga:
* Whatsapp: (67) 9 9202-0449
* E-mail: fulanoteatro@gmail.com
Envie nome do espetáculo, dia e a quantidade de ingressos desejada.

Parceiros:
TgR
Vaca Azul
Eduardo Romero

Fotografias - Franz Mendes

Iva (Luciana Kreutzer) - Foto: Franz Mendes  
Dão (Mauro Guimarães) - Foto: Franz Mendes  


segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Circo do Mato participa de Festival de Teatro na Argentina


Os bufões Dão e Iva com Mauro Guimarães e Luciana Kreutzer - Foto Larissa Pulchério
O espetáculo “Os Corcundas” de Breno Moroni com Circo do Mato, será uma das atrações do IV Festival Ventana Internacional de Teatro, em Mendoza / Argentina. O grupo vinha solicitando apoio para aquisição de passagens desde o convite, a SECTEI e Fundação de Cultura de MS estão oferecendo o apoio viabilizando a ida do grupo. O espetáculo terá duas apresentações dentro do Festival e o grupo será acompanhado por Márcio Veiga, representando a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, que terá uma agenda na Secretaria de Cultura de Mendoza com objetivo de cooperação mútua entre os dois países.

Os organizadores do Festival assistiram nossa apresentação em outro festival em Formosa na Argentina em 2014, é o terceiro ano consecutivo que nos convidam, finalmente tudo deu certo, estamos muito felizes, esses intercâmbios internacionais são muito importantes, valorizam e projetam o trabalho e o nome do Estado e País!” diz Laila Pulchério, produtora executiva do Circo do Mato.

Além da linguagem utilizada, a peça conta uma história de amor, que por si só, já é universal, isso facilita a compreensão em qualquer parte do mundo! Foi montada por seu criador, Breno Moroni, na Europa em 2009 circulando por Portugal e Itália, em 2011 foi montada pelo Circo do Mato e de lá para cá, foi apresentada em diversos festivais em Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Goiás e ainda, Colômbia, Bolívia e Argentina.  

A pesquisa que realizo desde os anos 70, sobre o corpo do Ator, me levou a aprender e entender “LIBRAS”, língua brasileira de Sinais, minhas viagens por dezenas de países de línguas diferentes e ainda a pesquisa que realizei em 5 anos na Europa sobre Teatro Medieval, resultou no espetáculo OS CORCUNDAS. Uma pantomima circense medieval. A proposta de montagem foi realizar um espetáculo sem cenário, com significativos adereços, para qualquer tipo de público, crianças, adultos, estrangeiros, pessoas com as mais diversas deficiências ...” conta Breno Moroni.

Sinopse
Uma pantomima que conta a saga de dois corcundas errantes: ele, o Corcunda, simpático, feio e puro! Como um cão, tenta ser amigo, mas, tem medo dos homens! Ela, a Corcunda, é feia e brincalhona. Esperta como um macaco, não percebe a opinião ou lógica das pessoas. Depois de caminharem pelo mundo, sem nada para vender ou comprar, são arrebatados por um amor sincero, avassalador, verdadeiro, engraçado e puro. Um espetáculo que diverte e emociona!

Ficha Técnica
Texto, dramaturgia e direção - Breno Moroni
Atuam - Luciana Kreutzer e Mauro Guimarães
Figurino e material Cênico - Circo do Mato
Produção executiva, , operação de som e luz - Laila Pulchério
Fotografia - Larissa Pulchério e Laila Pulchério

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Circo do Mato aprova projetos culturais

Neste dia 22 de setembro de 2017 a SECTUR - Secretaria de Cultura e Turismo de Campo Grande, publicou os projetos aprovados nos editais FMIC (Fundo Municipal de Investimentos Culturais) e FOMTEATRO (Programam Municipal de Fomento ao Teatro). Juntos os editais distribuirão R$ 4 milhões para fomentar projetos culturais de Campo Grande.

O Circo do Mato foi contemplado com os projetos "Um Ciclo de Vida - Percursos e Percalços" pelo FOMTEATRO - módulo Manutenção de Grupo no valor de R$80.000,00 alcançando uma pontuação 88 e a VI Pantalhaços – Mostra de Palhaços do Pantanal, que obteve a pontuação máxima - 100 pontos, no valor de R$126.380,00.

Nas duas últimas edições do FMIC e FOMTEATRO, lançados em 2014 e 2016, mesmo publicado em diário oficial, os projetos selecionados não foram pagos. O próprio grupo seria um dos contemplados, porém foi um dos 188 projetos que ficaram sem incentivo. "Acreditamos que desta vez os projetos serão pagos e assim a classe vai conseguir aquecer o movimento cultural que anda muito brando" diz Laila Pulchério, produtora executiva do grupo.

“VI PANTALHAÇOS – MOSTRA DE PALHAÇOS DO PANTANAL"

A Pantalhaços teve sua primeira e tímida edição em 2008, onde artistas e produtores culturais a realizaram com recursos próprios. A Mostra é uma iniciativa de consolidação da Arte do Palhaço para promover o fomento e a difusão da cultura circense sul-mato-grossense, à fim de alavancar a produção regional, promovendo o seu reconhecimento e prestígio, bem como, com a finalidade de dinamizar a cadeia produtiva do circo, proporcionando capacitação e formação artística no seguimento e assegurando à população a democratização do acesso à cultura do riso.


Comprometida com a excelência artística, a Mostra já é uma referência para a arte do Palhaço no Brasil, uma janela da produção nacional e internacional, espaço de aprendizado e de grande participação de público. Estima-se que em suas cinco edições, mais de vinte mil pessoas foram contempladas com as apresentações promovidas pela Mostra em suas diversas programações gratuitas, que além de espetáculos oportunizou-se à classe artística: palestras, seminários e cursos oferecidos por mestres reconhecidos internacionalmente vindos de países como México, Perú, Argentina e de diversos estados do Brasil, compondo um mosaico plural e generoso de troca de aprendizado e intercâmbio cultural.

O projeto inclui oficinas de formação na arte da palhaçaria, espetáculos incluindo comunidades na periferia da capital e mesas redondas com a participação de artistas da palhaçaria, é uma Mostra aberta a participação internacional.

“UM CICLO DE VIDA” – PERCURSOS E PERCALÇOS

O projeto busca revigorar o próprio grupo, incentivando também outros grupos da capital a apresentarem seus trabalhos, criando uma agenda de apresentações mensais na sede do Circo do Mato; dentro de uma programação mais longa, de 6 meses de atividades ininterruptas, envolvendo os nossos e outros (as) interessados (as), procurando cumprir um papel de fomentador das artes.

“Um Ciclo de Vida – Percursos e Percalços” é um projeto que vai viabilizar 4 ações conjuntas e concomitantes de manutenção e sustentabilidade do grupo, a proposta será composta pelas seguintes ações:

Ação 1 - Intercâmbio entre grupos
Ação 2 - Formação - oficina “Orientação do trabalho do ator em práticas cênicas”
Ação 3 - Montagem de espetáculo
Ação 4 - Curtas-temporadas - realização de temporada de 6 peças teatrais, sendo uma do próprio grupo e 5 de grupos convidados de Campo Grande, cada grupo realizará uma curta-temporada de 3 dias na sede do Circo do Mato. 

Os projetos serão amplamente divulgados por ocasião da execução dos mesmos.



quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Espetáculo “Quando o coração transborda” chega a Campo Grande neste final de semana

Quando o coração transborda de Maíra Oliveira, estreou em 2015 com grande sucesso. Depois de algumas temporadas no DF, com mais de 60 apresentações, a peça alça novos voos com circulação nacional ampliando seu público e divulgando a história cultural de Brasília, uma vez que é resultado de um novo olhar sobre o trabalho do Esquadrão da Vida, criado por Ary Pára-raios, pai de Maíra, há 38 atrás. A atriz percebeu como sua relação com seu pai e mestre influenciava seu fazer artístico e o trabalho da trupe. E decidiu que era preciso lançar um novo olhar para o futuro, sem perder os aprendizados do passado. Reverenciar a história, sem deixar de mirar a invenção do novo.



Foto Humberto Araujo

Foi então, repassando a história de sua relação com a arte, com o teatro e com seu pai e mestre, Ary Pára-Raios, que nasceu o roteiro de Quando o coração transborda. Na montagem, questões que envolvem a labuta diária do fazer teatral são expostas através das relações de atriz e mestre e de pai e filha, abrilhantando o olhar sobre o teatro e sua importância, bem como contribuindo para a discussão sobre o próprio fazer artístico e sua relevância para o momento atual.

O trabalho partiu da investigação de textos, memórias, cartas, músicas, poemas e imagens que fazem parte da trajetória do Esquadrão da Vida, da atriz e de seu pai. Em cena, um emaranhado de histórias e depoimentos que, juntos, compõem uma análise poética sobre a escolha profissional como artista.

Quando o coração transborda é uma peça intimista, criada para ser representada em pequenos teatros, com músicas executadas pela própria atriz. Maíra Oliveira toca viola caipira e violão e canta em cena, num grande encontro informal com a plateia. Lembrando sua história no teatro, as apresentações com o Esquadrão da Vida e com seu pai, as dificuldades vividas para chegar até este momento, Maíra deixou seu coração transbordar. Em cena.

Em Campo Grande o grupo está sendo acolhido pelo Teatro Imaginário Maracangalha e o Circo do Mato, “é muito bom receber o grupo, eles trazem um projeto muito interessante que só tem a acrescentar, bom momento para um intercâmbio e novos aprendizados!” diz Laila Pulchério do Circo do Mato. Além do espetáculo, o Esquadrão da Vida ainda oferece uma exposição iconográfica que conta um pouco da trajetória do Esquadrão da Vida e de seu criador Ary Para Raios desde sua primeira saída às ruas, em 1979, até os dias de hoje, com o espetáculo “Quando o Coração Transborda”, e ainda a oficina “Aprendendo a Voar” voltados para maiores de 16 anos e pessoas com experiência em teatro. De Campo Grande o espetáculo segue para Corumbá com o apoio do Espaço Vivart.
Foto Ico Oliveira 
ESQUADRÃO DA VIDA – Fundado em dezembro de 1979, por Ary Pára-Raios, o Esquadrão da Vida foi pioneiro na abordagem de temas como o resgate e a valorização da cultura popular, a denúncia de exclusão de uma parte importante da sociedade dos espaços culturais tradicionais, a conscientização ecológica, dentre vários outros temas que ainda hoje ocupam os debates no mundo. Em sua linguagem, incorpora elementos expressivos das festas populares e de saltimbancos, como acrobacia, música e dança.

SINOPSE
A partir de textos, músicas, cartas e lembranças, Maíra Oliveira reflete sobre o ofício do ator, aborda temas intimamente ligados à sociedade brasileira contemporânea e reconstrói sua trajetória como atriz, relembrando um pouco da história do grupo Esquadrão da Vida e da relação com seu pai, o grande criador Ary Pára-Raios.

A EQUIPE
MAÍRA OLIVEIRA – intérprete e codiretora
A trajetória artística de Maíra é marcada desde o início pelo seu envolvimento com o Esquadrão da Vida, grupo de teatro criado por seu pai, Ary Pára-Raios, há 36 anos. A partir de 2003, com a morte de Ary, a atriz assume a direção do grupo, tomando a frente dos trabalhos de reformulação, resgate e desenvolvimento do legado da trupe, seu principal foco de trabalho. Formada em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília, trabalhou com Hugo Rodas, Sílvia Davini, Murilo Grossi e outros nomes do teatro candango. Dirigiu o espetáculo O BICHO HOMEM E OUTROS BICHOS com a companhia Farândola Troupe, de São Paulo, e fez teatro para bebês com a companhia hispano-brasileira La Casa Incierta. 


JOÃO ANTONIO DE LIMA ESTEVES - codiretor
Ator e diretor dos mais atuantes do teatro de Brasília, atuou como professor de Teatro na Universidade de Brasília e recebeu prêmio especial do Sesc/2010, por sua colaboração ao Teatro Brasiliense. Já atuou em mais de 50 espetáculos de Teatro e Dança, tendo integrado grupos como a Companhia dos Sonhos, de Hugo Rodas, e 20 produções cinematográficas. Também tem extensa carreira no rádio e em publicidade. Atualmente, integra o Grupo Cena.


ROBERTO CORRÊA – diretor musical
Violeiro, compositor e pesquisador, Roberto Corrêa nasceu em Campina Verde, MG, numa família de violeiros. Iniciou-se na música ainda criança, através do violão, instrumento que abandonou anos mais tarde para dedicar-se exclusivamente à viola. Radicado em Brasília desde 1975, graduou-se em Física e Música pela UnB. Em mais de 20 anos de carreira, Roberto Corrêa lançou 15 discos e apresentou a viola caipira e a viola de cocho nas diversas regiões brasileiras e em 29 países. Por várias vezes representou o Brasil, a convite do Itamaraty, em programas de difusão da cultura brasileira no exterior.


QUANDO O CORAÇÃO TRANSBORDA 
FICHA TÉCNICA
Direção: Maíra Oliveira e João Antonio de Lima Esteves
Direção Musical: Roberto Corrêa
Roteiro: Maíra Oliveira
Atuação: Maíra Oliveira
Preparação Corporal: Daniel Lacourt
Produção: Carvalhedo Produções
Figurino: Maria Carmen
Iluminação: Marcelo Augusto
Programação Visual: Ico Oliveira
Classificação etária: 14 anos


CONTATO: Maíra Oliveira – (61) 984094694
Tatiana Carvalhedo - (61) 981278667


SERVIÇOS

Espetáculo “Quando o Coração Transborda” e Exposição 
LIMITE DE PÚBLICO - 50 PESSOAS

Local: Circo do Mato – Rua Tonico de Carvalho 263 – Bairro Amambaí – Campo Grande MS

Dia: 09 de setembro
Horário: 20 horas

Dia 10 de setembro
Horário: 19 horas



Oficina "Aprendendo a Voar" (((inscrições encerradas)))
Local: Circo do Mato – Rua Tonico de Carvalho 263 – Bairro Amambaí – Campo Grande MS
Dias: 12, 13 e 14 de setembro
Horário: 18 horas